quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Trabalho Cognitivo

Hoje não irei falar sobre nenhuma artigo, livro ou algo parecido.
Vou contar um pouco da minha experiência e de informações que vieram de algum livro ou artigo que já não lembro mais, informações que já fazem parte do meu conhecimento na área.

Algumas idosas no Recanto da Vovó vem apresentando uma grande evolução em suas capacidades cognitivas. Isso começou quando a nossa psicóloga Ana Luisa implantou algumas avaliações e "testou" algumas perguntas com as idosas para termos um pouco mais de conhecimento sobre a noção de tempo e espaço das idosas uma vez que a percepção corporal já estava melhor.

Notamos claramente que 90% delas tinham déficit de memória e noção de tempo espaço, dentro desta porcentagem estavam até mesmo algumas idosas sem nenhuma patologia cognitiva. A própria institucionalização faz com que o individuo para de "exercitar" seu cérebro levando a perda de suas capacidades.

Então começamos a incluir nas rotinas de atendimento atividades básicas para a parte cognitiva como por exemplo perguntar todos os dias: Que dia é hoje? De que mês? Em que ano estamos? etc... isso criou uma rotina com as idosas fazendo elas se manterem no tempo, algo que elas muitas vezes fazem questão de perder, principalmente pelo contexto da morte tão presente nesta idade e nas casas de repouso.
Se manterem no tempo e espaço fez com que as idosas ficassem mais "espertas" muitas hoje já estão nos aguardando quando chegamos pois sabem direitinho os dias que iremos.

Outro ponto que trabalhamos foi a questão da memória e para isso nada melhor do que os cães. O componente emocional é muito grande e a relação destas idosas com nossos cães é fantástica. Então todas elas são questionadas sobre as particularidades de cada cão, nome, raça, origem, idade etc... esta atividade faz com que elas comecem a trabalhar seu cognitivo e dá tb início a uma série de curiosidades que elas tem sobre os cães. Esta ligação emocional é fantástica e deve ser trabalhada das mais diferentes formas.

Para uma idéia quantitativa, aplicamos nas idosas o Mini Exame Mental de Foltein o famoso Mini-Mental, umas das idosas que atendemos que vamos aqui chamar de Sra. Z conseguiu em 1 ano um aumento de 10 pontos saindo de leve deficiência cognitiva para Função Cognitiva Integra. O melhor é ver a evolução na articulação das respostas e principalmente ver o orgulho desta idosa em acertar as perguntas e muitas vezes auxiliar suas colegas.

Já nos contaram que algumas idosas começaram a procurar calendários na instituição para colocarem ao lado da cama. Pequenas coisas que fazem o isolamento do mundo destas idosas menor.

E de onde será que vem toda esta motivação? Esta vontade de acertar as perguntas, de se manter informada?
Sem duvida vem da relação estabelecida entre os cães, os terapeutas e as idosas. Do afeto e carinho que elas tem pelos cães e a resposta deles para com elas.



Gostaria também de mostrar para vocês que TAC não é nada do outro mundo porém deve ser realizada por pessoas capacitadas e que possuem conhecimento na área, apenas o conhecimento poderá levar a estes insights de exercícios simples porém com um alto resultado.

A criatividade é fundamental, além do conhecimento e amor pelo trabalho.

3 comentários:

  1. Maravilhoso esse trabalho! Parabéns! Gostaria de saber mais, como faço? Abraços

    ResponderExcluir
  2. Podemos conversar por aqui mesmo ou me envie um e-mail no tac@tac.org.br

    ResponderExcluir